Páginas

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Dói...

Aiii, ando meio chateadinha...
Várias coisas legais estão me acontecendo, mas as que não são legais, estão prevalecendo. 
Quando envolve saúde, família e coração, minha vida fica mesmo muito descompassada. 
Já sei que ando meio desligada, irritada, estressada, mas frágil, sentimental, ... Posso dizer que sou a contradição em pessoa, pois tanto quero como em segundos já não quero mais...
O ruim de tudo isso é: querer tirar alguém do coração e não conseguir; querer resolver o problema do mundo e não ter condições para isso; querer chorar e ter que manter o sorriso; querer estar escondida entre os travesseiros e ter que estar fazendo social; querer um abraço mas ter só a saudade, ...


Ah.. estou sofrendo, com o coração apertadinho mesmo, fazer o que?!! Ainda assim, sobrevivo!






"Tudo isso dói.

Mas eu sei que passa, que se está sendo assim é porque deve ser assim, e virá outro ciclo, depois.

Para me dar força, escrevi no espelho do meu quarto:' Tá certo que o sonho acabou, mas também não precisa virar pesadelo, não é?'


É o que estou tentando vivenciar.

Certo, muitas ilusões dançaram - mas eu me recuso a descrer absolutamente de tudo, eu faço força para manter algumas esperanças acesas, como velas. Também não quero dramatizar e fazer dos problemas reais monstros insolúveis, becos-sem-saída.

 - C. F. A. -




Nada é muito terrível. Só viver, não é?

A barra mesmo é ter que estar vivo e ter que desdobrar, batalhar um jeito qualquer de ficar numa boa. O meu tem sido olhar pra dentro, devagar, ter muito cuidado com cada palavra, com cada movimento, com cada coisa que me ligue ao de fora. Até que os dois ritmos naturalmente se encaixem outra vez e passem a fluir.

Porque não estou fluindo."