Páginas

sábado, 21 de novembro de 2009

Em tudo, o AMOR está...



"A inteligência sem amor, faz-te perverso.

A justiça sem amor, faz-te implacável.

A diplomacia sem amor, faz-te hipócrita.

O êxito sem amor, faz-te arrogante.

A riqueza sem amor, faz-te avarento.

A docilidade sem amor, faz-te servil.

A pobreza sem amor, faz-te orgulhoso.

A beleza sem amor, faz-te ridículo.

A autoridade sem amor, faz-te tirano.

O trabalho sem amor, faz-te escravo.

A simplicidade sem amor, deprecia-te.s

A lei sem amor, escraviza-te.

A política sem amor, deixa-te egoísta.

A vida sem AMOR... não tem sentido!"
(Desconhecido)



Um comentário:

Violeta disse...

Pequeno deslize no copiar e colar...
Margarida havia deixado como comentário, o poema de Camões:

O Amor é fogo que arde sem se ver
É ferida que dói e não se sente
É um contentamento descontente
É dor que desatina sem dor...

- mas, consegui deletar o comentário dela... mas a intenção foi registrada - então, abaixo, o poema que havia deixado como comentário respondendo ao dela:

*********************************

S. disse...
Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinícius de Moraes

9 de dezembro de 2009 18:01